terça-feira, 15 de outubro de 2013

Vidas Imperfeitas


           "Juno Omura não é uma garota como outra qualquer.
            Todos  a conhecem por ser violenta, impaciente e impulsiva, o que afasta as pessoas dela.
            Enquanto, existe muito mais dentro dela do que se pode imaginar, cabendo a apenas Daniel descobrir os motivos de sua atitude e seu tenebroso passado."
- Sinopse, VIDAS IMPERFEITAS.


     É normal ver pessoas por ai falando mal das HQs nacionais. Por mais que muitos trabalhos encontrados por ai sejam, de fato, de baixo nível (em grande parte a culpa é dos fanboys e otakus), não posso concordar com tal afirmação. Durante vários anos venho acompanhando as publicações Brasileiras, sejam fazines ou produtos de banca, e tenho que dizer que cada vez mais produtos bons estão sendo produzidos. Embora o Brasil não tenha em suas veia a cultura dos quadrinhos independentes tão forte quanto o Japão e os Estados Unidos, tal cultura vem crescendo por aqui a varias e varias décadas. Ainda estamos longe de ser uma potencia, ou mesmo uma referencia no mundo dos quadrinhos, mundialmente falando. No entanto, de tempo em tempos temos grandes publicações que nascerem de sementes na mente de autores e com o tempo se tornam, sim, referencias vivas na mente de leitores e quadrinistas novatos. Podendo até dar origens a novas sementes. Vidas imperfeitas é uma dessas sementes.

Juno 
     O "VIDAS", como ficou conhecido, é um historia que segue uma linha densa do começo ao fim. E seu próprio apelido mostra oque ele representa, e porque ficou tão conhecido, e chegando até mesmo aos mercados estrangeiros. Ele nada mais é que a historia de uma garota que a principio se mostra rasa e violenta, e com o tempo se torna uma historia de uma garota quase real ao olhos do leitor. Lendo os seis volumes da HQ eu fiquei imaginando quantas garotas por ai se identificaram com Juno Omura. Quantas viram ali, a sua historia de vida escrita e desenhada. Embora seja mais difícil para uma homem compreender uma historia shoujo, não ha como negar que muitos de nós já tivemos algum tipo de problema na área do amor. Uma área complicada para qualquer humano, imagino.
     Não sei, talvez por eu gostar bastante de shoujos e romance a ponto de ter um espaço em minha biblioteca pessoal reservada só pra isso, me apeguei muito ao VIDAS logo na primeira vez que li. Talvez essa seja uma historia muito mais profunda do que a maioria das pessoas esteja acostumada, mesmo para pessoas que apreciam o gênero.
     Embora sejam historias complemente diferentes, e traços completamente diferentes, Vidas Imperfeitas me faz lembrar outro mangá que gosto muito, NANA de Ai Yazawa. Não saberia dizer se tal semelhança esta no estilo narrativo, na mensagem a ser passada ou apenas nesta minha cabeça desajustada. Porem, ambas a historias são profundas, e eu gosto disso.

           "Juno com certeza sabia curtir a vida de forma plena... Mas as vezes dava pra notar que bem la no fundo... Também havia tristeza."
- Daniel, VIDAS IMPERFEITAS volume 01




Daniel
     Não ha como negar que a trama do VIDAS foi bem construída. Todos os pontos de encaixe estão ali. Todas as amarras são bem firmes. Quando começamos o volume 1 não temos a noção de a que ponto a historia vai chegar e o fim é um tanto diferente do esperado, deixando o leitor com vontade de ler um próximo volume que, infelizmente, não existe.
     Vidas Imperfeitas é a historia de Juno Omura, uma garota que já tem eu sua escola uma fama de garota brigona e desordeira. Logo em seguida somos apresentados ao seu par romântico, Daniel, que ao ver ela espancando um jovem na rua, começa a fica curioso sobra a tal garota. Com o passar dos dia ele se aproxima e descobre que ela é muito mais do que uma garota violenta. Após um show da banda do irmão de Juno, onde Daniel fez companhia para a garota, ela o convida a ir na casa dela para uma festa. Após varias garrafas de cerveja e muito sereno, Juno finalmente beija Daniel. Tudo bonitinho como deferia ser se não fosse o fato de Juno não se sentir nada bem enquanto queima de febre. O garoto cuida dela durante a noite e acaba por dormir ao lado dela. Na manhã seguinte, quando a mãe de Juno chega em casa os vê na cama, criando um mal entendio.
    Não vou contar muito mais sobre oque acontece durante a historia. O fato é que em todos os pontos o roteiro foi bem construído. Cumpre todos os pontos exigidos para esse estilo. Mary Cagnin fez, sem duvidas uma obra para ser lembrada por gerações.

           "Momentos de felicidade vêm e vão. Lembro das coisas boas que tenho... E essa garotinha que vi crescer... Me faz ter um pouco de esperança."
- Juno, VIDAS IMPERFEITAS volume 5
Diego


    Para aqueles que tem interesse em ler esta obra, antes mesmo de sair próximo post basta clicar no link:

     E aqui encerramos a primeira parte deste post sobre o mangá shoujo Vidas Imperfeitas. Espero em breve publicar a segunda parte. Espero que tenham gostado, e até breve...


Nenhum comentário:

Postar um comentário