sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Rainy Night 03: O Jantar


CAPITULO TRÊS
O JANTAR

Arroz e camarão para Fe e Arroz, feijão e bife par Dav. Depois de tanto tempo sem comer o gosta da comida para David parecia extremamente bom, mas parecia também que a fome, que começara a sentir fazia poucos minutos, parecia não ter fim. Felipe não comia o camarão e sim degustava lentamente sentindo todo o seu suave sabor.
Dois homens entraram pela porta fazendo um tremendo escândalo, xingando e discutindo com o garçom pela falta de mesas disponíveis.
- Olhei isso aqui meu amigo...- disse Masaichi mostrando o distintivo reluzente- você tem certeza que não tem como achar uma mesa?
- Calma cara. - Eduard tentava fazer Masaichi da tempo pro garçom falar.
-Senhores... hmm, qual mesmo o nome dos senhores?
- Masaichi.
-Whitseiman.
-senhores, Masaichi e Whitseiman. Temos uma mesa reservada... - o garçom olhou para o grande relógio que se encontrava na parede atrás da mesa da recepção- mas o cliente esta atrasado mais de 20 minutos. Posso perguntar ao gerente se vocês podem usa-la.
-Talvez já devesse ter feito isso. - resmungou o japonês enrugando a testa.
- Por favor, faça isso. Mas faça rápido. Ok?
- Sim, sim. Um instante.
- Vamos esperar aqui.
 "Hum, na porta? Querem garantir que serão os próximos atendidos.", pensou o garçom caminha em direção ao outro lado do restaurante em direção à cozinha, onde estava  o gerente.
De um canto próximos a janela, dois adolescentes assistiam a cena.
- São tão idiotas. Não acha Dav?
- Pois é. Até parece que vão morrer de fome.
- Eles deviam ter ido pra uma pizzaria, kkk. Esses caras não tem nível pra jantar em um restaurante.
- Hum... Sabe Fe?
- Oque?
- Acho que eu também não tenho nível pra isso. Nem dinheiro eu tenho. - disse David abaixando a cabeça.
- Deixa de ser bobo. - então o rapaz bem vestido olho nos olhos do garoto despenteado e com as roupas sujas a sua frente- Não é questão de dinheiro ou coisa do tipo...
-hã?
- Classe é questão de educação e isso, meu caro, você tem de sobra. Só oque te falta é um banho e roupas novas pra melhorar seu astral.
Os dois garotos soltaram um gargalhada profunda e alta que soou como um eco por todo o ambiente fazendo as pessoas olharem para eles.
- Ei Ed, do que será que aqueles dois estão rindo?
- Sei lá. Mas aqueles dois são muito diferentes.
- Concordo. Um parece um filho de milionário e o outro um rebelde. Porque será que estão juntos? Isso é suspeito.
- Esquece isso, o garçom esta demorando.
- Talvez...
- Hmm?
- Aquele cara esteja sendo chantageado por aquele mendigo.
- Ta falando besteira cara.
- OQUE?
- Presta atenção. Mesmo sujo, aquele carinha usa roupas de marca, e os dois parecem estar se divertindo. Imagino que sejam amigos. Mas...- Ed fez umas pausa pra respirar e levou a mão ao queixo- como ele ficou tão sujo? até parece que não toma banho a dias. Por quê?
- Nesse caso espero que aquele infeliz não esteja fedendo, a única mesa livre é do lado dele.
- Sim, e isso me lembra...
- Lembra?
- Que o garçom ainda não voltou.
-Ahh... Verdade, onde será que o desgraçado esta afinal de contas? Será que ta fazendo uma entrevista pra contratar um novo gerente? ou oque?
Na cozinha. O gerente recriminava um dos garçons por tem ido importuna-lo enquanto ele estava em uma conversa importante com o chefe.
- Porque diabos não chamou os seguranças se os caras estavam incomodando?
- É que...
- Que oque?
- São policiais, senhor. Eu não sabia se podia expulsa-los daqui.
-Ahhh.. Eu mesmo vou ter que resolver isso?! que merda!
Os pratos estavam vazios em cima da mesa sobre a mesa de Dav e Fe. Ambos satisfeitos, Felipe contava ao amigo sobre os vários jantares com pessoas importantes que havia tido no Rio de Janeiro acompanhando seu tutor. Da cozinha, o garçom saiu acompanhado de um homem usando um terno aparentando ser muito caro e atravessou o restaurante no sentido oposto  ao de minutos antes até ficar a quase um metro de Ed e Masaichi. Enquanto Fe pagava a conta ao outro garçom e Dav já se levantava pra sair.
Masaichi e o gerente ainda discutiam sobre a mesa reservada quando Fe e Dav se aproximaram deles.
- Ei garoto, olha por onde anda.
- desculpa.
- desculpa o caralho. Ta tentando fazer oque? Bater minha carteira, é?
- N.. Não.
Quando Felipe olha pra trás vê Masaichi segurando David pelo colarinho da camisa.
-Larga ele.
- Senhor Salommon...- disse o gerente - não vi que o senhor estava aqui. Este garoto é seu amigo?
- É o David. Não reconheceu?
-Ahh... não. Desculpa. - de repente o gerente pareceu nervoso como se com medo de Fe, agarrou o braço de Masaichi forçando-o a largar David.
- Ei vamos parar com a reuniãozinha... - disse o japonês encarando o gerente.
Eduard coloca a mão no ombro do colega que olha pra ele.
- As crianças tão saindo, não tão? então agora tem uma mesa livre. Da pra gente comer ou não?
O gerente faz sinal que sim com a cabeça para o garçom.
- Venham por aqui senhores.
Masaichi e Whitseiman acompanham o garçom enquanto o gerente e os adolescentes ficam parados em frente a recepção vazia do restaurante olhando os dois policias sentando-se a mesa.
- Você mudou, hein Dav.
- Como assim?
- Se isso fosse antes de eu viajar...- Fe olha pro amigo - acho que você teria encarado ele e saído no soco.
- hmm... é provável.
- Perdoem o incomodo. Não vai se repetir. -desculpou-se o gerente.
- De boa, senhor McKonnam. A gente já vai, né Dav?
- Sim sim. Vamos.
Saindo do restaurante, a lua cheia brilhava no céu. Fe ainda reclamando e chamando david de fraco, seguiram de novo para o apartamento sujo e desarrumando que serviria de lar para os garotos. Mas ainda tinha algo que Felipe não contara que estava preocupando David: Porque Fe tinha retornado tão antes do que estava definido?

Nenhum comentário:

Postar um comentário