quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Rainy Night 02: No Hospital

CAPITULO DOIS
NO HOSPITAL

Um grito de dor atravessou a janela de Lilian e encheu os seus ouvidos trazendo-lhe um frio e uma agonia de imediato. A jovem garota desceu as escadas e atravessou a sala humilde ate a porta que saia a rua para resgatar o homem caído e cheio de sangue que acabara de ver através de sua janela. Willian estava alterado, sem o braço esquerdo e com uma ferida jorrando sangue em sua perna direita, parte do cabelo parecia ter sido arrancado a força e rosto cheio de hematomas. A garota correu na direção de Willian e o abrasou, neste instante o homem desmaiou.
Um teto branco foi a primeira coisa que os olhos de Willian viram ao desperta, ele estava em um hospital e já não sangrava como antes, forçou os músculos a fim de se sentar na cama mas a dor foi tanta que mau se mexeu, e foi nessa hora que uma voz familiar chegou aos seus ouvido e o cheiro típico de rosas silvestres encheu suas narinas, como um mel que toca a língua ele saboreou o perfume de Lilian, tentou mover o pescoço, mas a dor novamente o impediu.
- Willian... -sorriu a garota que acabara de entrar no campo de visão do homem – não se esforce muito.
- Nem que eu quisesse Lili.
- Tem dois homens aqui que querem vê-lo.
- Quem... Quem são eles?
- Policiais.
Willian pareceu estupefato por um segundo, policiais? , demorou sua mente lhe associar velhos amigos da policia que ainda estivessem vivos, e então aconteceu.
- Ed e Masaichi?
- Desculpa, não perguntei os nomes, acha que poderá atendê-los ou peço pra voltarem mais tarde?
- Acho que... Manda entrarem.
- tá.
A garota saiu com um gemido tímido, "ele acabou de acordar", pensou ela ao fechar a porta. A poucos metros dois homens estavam sentados conversando sobre o jogo de futebol que acabaram de ver, a teve portátil ainda quente estava largada em eles. Eduard era um homem auto, moreno e bem arrumado, ao contrario do amigo e colega de trabalho Masaichi, que era um japonês imigrante de quase quarenta anos e cabelo despenteado uma camisa do AC/DC velha e desbotada era seu orgulho como roqueiro.
No quarto, Will tentava imaginar os motivos que aquela visita poderia ter. Obviamente é porque ele esta mal, mas sinceramente Will não tinha fé nesta opção, vários outros colegas de trabalho já haviam passado por situações parecida por outros motivos, e seus visitantes nunca deram importância. Ed e Masaichi também não eram os melhores amigos de William, na verdade não se davam bem com ou outro colegas da policia além de um com o outro, se trabalhassem em distritos diferentes provavelmente os dois seriam solitários e só falariam com seu chefe quando recebessem novas tarefas e mais ninguém na policia. "Afinal, porque esses dois entraram pra policia?" ficou pensando Wiil, até que finalmente a porta se abriu.
Masaichi foi o primeiro a passar pela porta e logo em seguida Eduard, Lilian fechou a porta pelo lado de fora, sabia que a conversa seria demorada, seria e privada, como sempre era quando Willian falava com outro policiais, então ela nem queria se envolver, will provavelmente a contaria sobre a conversa mais tarde, como sempre fazia.
- Olá senhor Willian. Como se sente. - perguntou ed.
- Na medida do possível... eu diria bem.
- Então acho que poderemos conversar um pouquinho, não é? - disse Masaichi sentando em uma poltrona que esta próxima a cama.
- Obviamente. - Will deu um sorriso de deboche que pareceu já irritar o japonês- sobre oque falaremos? Que tal sobre o motivo desta visita?
Masaichi sorriu de leve se ajeitando sobre a poltrona, inclinando para frente e apoiando os cotovelos nos joelhos, deixando a as mãos unidas a frente do rosto.
- Sobre oque falaremos Ed?
- Bom, colega... o motivo da nossa visita parece um bom ponto pra começarmos. então que tal seguirmos a sugestão do nosso companheiro hospitalizado?
Ed puxou uma cadeira para perto da poltrona onde estava Masaichi e sentou calmamente nela. Willian não podia ver seus companheiros da policia, mas nem tentou mover-se pra isso, podia reconhecer a voz de ambos e não tinha a menor vontade de velos.
- Estamos aqui para saber como vossa senhoria perdeu um braço e quase perdeu uma perna, sem falar de parte do cabelo e de todos esse ferimentos. Sabe, senhor Willian, isso não comum.
- Belo discurso, Masaichi.
- Ta me zuando?
- Não, não. Que isso? Somos colegas de trabalho, não precisa vir com frases prontas pro meu lado, cara. Me diz, tava treinando antes de entrar aqui?
Masaichi fez menção de se levantar mas Ed colocou a mão em seu ombro como que pra dizer para que o colega não aceitasse as provocações, afinal, Will nem podia mover o pescoço e estava agindo como se fosse o "rei" ali.
- Fica calmo japa. Eu vou falar.
O quarto ficou fechado por mais de duas horas, Lilian ja começara a se preocupar com a demora, bebera mais de sete xicaras de chá durante este período e se preparava para pegar a oitava quando a porta fez "Tec", e se abriu levemente. Ed e Masaichi pareciam contentes com as informações que conseguiram de Wil, Lilian mal podia esperar pra saber do que se tratava.
- Hein, senhorita. - falou Eduard para a jovem com a xicara entre as mãos.
-Hmm... posso ajuda-lo? - respondeu Lilian ainda tentando imaginar o a conversar dos policiais com Wiil.
- Bom, meu colega e eu não costumamos vir para este lado da cidade. A senhorita sabe se tem algum lugar em que possamos comer?
- Ah... bom, tem o restaurante do almeida aqui perto. A comida é ótima. Hmm.. - Lili parou um instante pra respirar e tentar lembrar como indicar o caminho até o restaurante- Basta que o senhores sigam a rua paralela a rua da frente do hospital umas cinco quadra naquela direção...- levantou a mão direita e aponto para o leste- depois virem a esquerda e sigam mais umas 3 ou quatro quadras.
- Obrigado.
- Por nada, senhores.
Os dois policiais foram para o estacionamento, entraram e sua viatura a paisana, um belo diplomata verde e foram em direção ao local indicado.
Quase que ao mesmo tempo, David e Felipe chegavam ao prédio grande com um letreiro luminoso onde se lia "Almeida". Fe ja imaginando qual seria a sua primeira refeição desde de que chegara a cidade e então dois amigos Entraram pelo salão e sentaram-se em uma das mesas.

Um comentário:

  1. Legal o 1 e o 2 tem personagens diferentes, estou curiosa para saber como esses personagens vão se cruzar.

    Agora só falta uma capa e umas ilustrações pra ficar ainda melhor ^^/

    ResponderExcluir